Direito Ambiental

Direito Ambiental é o ramo voltado para a proteção jurídica da qualidade e da sustentabilidade do meio ambiente. Rico em biodiversidade e extensão territorial, o Brasil possui uma complexa Legislação Ambiental, com diferentes enfoques e vinculações, o que torna fundamental para as corporações, um conhecimento jurídico especializado na área para evitar vulnerabilidades e danos ambientais.

O Direito Ambiental abrange cinco manifestações: o patrimônio genético, o meio ambiente natural ou físico, o meio ambiente artificial (espaço urbano construído).

A Palácio Dantas atua em todos esses segmentos ambientalistas, assessorando seus clientes na prevenção dos danos e na realização de todas as obrigações de responsabilidade social/ambiental, impostas pelo Poder Público, para a realização das atividades empresariais.

Entre os principais serviços da esfera de Direito Ambiental, nos quais a Palácio Dantas possui anos de experiência e qualificação, estão:

  • Acompanhamento de processos administrativos de licenciamento ambiental e infrações administrativas
  • Patrocínio de processos judiciais civis ou criminais, vinculados à legislação ambiental

 

 

 

 

  • INFORMATIVO –

    INFORMATIVO – Isso mesmo, publicações feitas no Facebook e em vários grupos de WhatsApp, com o intuito de ferir uma pessoa física ou a imagem de estabelecimentos comerciais, podem render ações judiciais com a condenação por danos morais além de responder pelos crimes de calúnia ou difamação. Por isso, sempre é bom medir o que […]

    Leia Mais
  • JUÍZES DEFEREM LIMINARES PARA SUSPENDER PROTESTOS EM RAZÃO DO CORONAVÍRUS.

    Com o fundamento de que o setor empresarial necessita de acesso ao crédito emergencial para manter suas atividades durante a pandemia, empresas conseguem liminares para suspender o registro de protesto e restrições junto aos órgãos de proteção ao crédito. Para o Palácio Dantas Advogados as liminares representam uma ótima solução para os comerciantes, face as […]

    Leia Mais
  • Supermercado não é responsável pela guarda e vigilância do celular de cliente

    Para a 2º Turma Recursal do Estado do Acre, em se tratando de objeto de uso pessoal, cabe ao cliente o dever de cuidado, tendo o fato ocorrido em razão de sua negligência, pois não há como imputar ao supermercado o dever de fornecer segurança absoluta a todos os pertences pessoais de todos os clientes. […]

    Leia Mais